Conceitos Importantes Sobre Densitometria Óssea

Você está em - Home - Informativo densitometria - Conceitos Importantes Sobre Densitometria Óssea

A MASSA ÓSSEA E A OSTEOPOROSE

Nos últimos 20 anos progressos marcantes vêm sendo feitos no desenvolvimento de técnicas capazes de medir a massa óssea.

Com o desenvolvimento da Densitometria Óssea, muitas informações acerca do desenvolvimento e comportamento da Massa Óssea têm tornado possíveis grandes avanços em termos de prevenção e tratamento da Osteoporose.

DEFINIÇÃO DE OSTEOPOROSE

Ao termo OSTEOPOROSE significa uma doença caracterizada por uma diminuição absoluta e global da quantidade de tecido ósseo, abaixo daquela requerida para o suporte mecânico de sua atividade normal e pela ocorrência de fraturas “não traumáticas”.

ETIOLOGIA DA OSTEOPOROSE

Multifatorial:

 

  • Envelhecimento
  • Menopausa
  • Estilo de vida
  • Fatores reguladores locais do metabolismo ósseo
  • Fatores genéticos
  • Vários outros fatores que contribuem para a perda da massa óssea

 

DESENVOLVIMENTO DA MASSA ÓSSEA

 

  • Na infância e adolescência 70% da massa óssea total é formada
  • Na fase de adulto jovem, entre 20 e 35 anos, forma-se os 30 % restantes.
  • Ao atingirmos 35 anos teremos acumulado o que denominamos "pico de massa óssea" (peak bone mass)
  • O ritmo de acúmulo desta massa óssea difere entre os sexos.
  • No sexo feminino sofre uma aceleração mais acentuada na puberdade e atinge níveis finais mais baixos que nos homens.
  • O redor dos 45 anos as mulheres sofrem um declínio das função ovariana de produção de estrógenos. Neste momento começa a ocorrer uma perda da massa óssea.

 

 

“Diminuição global da massa óssea com compromentimento da microarquitetura trabecular e consequente aumento da susceptibilidade à fraturas”.
Conferência Mundial de Consenso, Homg Komg 1993 e Amsterdã 1996 

CAUSAS E TIPOS DE OSTEOPOROSE

Queixa básica dos pacientes com osteoporose:

 

  • Dor nas costas, aguda ou intermitente
  • Dificuldade na realização de atividades diárias
  • Fraturas e microfraturas
  • Diminuição da estatura
  • Deformidade vertebral
  • Fraturas dos quadris, vertebras e punhos
  • Hipercifose ou "Corcova de Viúva"

 

IMPACTO NA SAÚDE PÚBLICA

 

  • A OSTEOPOROSE é uma importante preocupação de saúde pública em todos os países do mundo
  • O aumento da expectativa de vida é o fator determinante
  • No Brasil no início do século a expectativa de vida era de 40 anos.
  • Atualmente esta em torno de 64 anos e para o ano de 2020 espera-se ultrapassar os 70 anos.
  • A osteoporose é a maior causa de fraturas em mulheres menopausa e na população idosa.
  • Nos EUA 24 milhões de mulheres são afetadas, e gastam 14 bilhões de dólares apenas com os cuidados diretos à fraturas por osteoporose.
  • No Brasil o SUS gasta com as fraturas atribuídas a Osteoporose dois bilhões de dólares.

 

FATORES DE RISCO PARA A OSTEOPOROSE

 

  • Mulheres da raça branca
  • Pequena envergadura física
  • Antecedentes familiares de OSTEOPOROSE
  • Menopausa precoce
  • Vida sedentária
  • Dieta com pouco leite
  • Consumo excessivo de café
  • Tabagismo
  • Etilismo

 

CONCEITOS EM DENSITOMETRIA ÓSSEA

Os principais métodos de medida da massa óssea, ou simplesmente densitometria óssea disponíveis são:

 

  • SPA (QUANTITATIVE PHOTON ABSORPTIOMETRY)
  • SXA (SINGLE ENERGY X-RAY ABSORPTIOMETRY)
  • QCT (QUANTITATIVE COMPUTERIZED TOMOGRAPHY)
  • DPA (DUAL PHOTON ABSORPTIOMETRY)
  • DXA (DUAL X-RAY ABSORPTIMOETRY)

 

 

CARACTERÍSTICAS PARTICULARES DOS PRINCIPAIS MÉTODOS

 

 

 

OS EQUIPAMENTOS DXA CONSTITUEM HOJE O PADRÃO OURO PARA A DENSITOMETRIA ÓSSEA

INDICAÇÕES CLÍNICAS DA DENSITOMETRIA ÓSSEA

  1. Mulheres pós-menopausas
  2. Mulher acima dos 50 anos ou homem acima dos 60 anos
  3. Presença de fatores de risco
  4. Amenorréia em mulheres jovens
  5. Osteopenia à radiografia ou deformidade vertebral
  6. Uso prolongado de corticóides
  7. Hiperpatireoidismo primário
  8. Histórico familiar para osteoporose
  9. Para controle da eficácia e acompanhamento do tratamento.